Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



Publicidade



ESTRELÍCIA Gigante

por Muito Mais, em 18.07.10

Estrelícia-gigante

A Estrelícia-gigante – Strelitzia nicolai – é uma planta duradoura de caule lenhoso, que pode atingir os 20m de altura.
É parecida à Strelitzia reginae no que diz respeito à forma da flor, no entanto as suas cores são menos coloridas e mais escuras e as folhas são mais flexíveis e acabam por “rasgar-se”.
Possui flores grandes (cerca de 50cm), de coloração arroxeada, bem escura; a sua “crista” é branca/amarelada e azulada.
As folhas verdes crescem em longos galhos e ao ficarem rasgadas acabam por ficar parcialmente secas, medem entre 3 e 4m.
Vinda da África do Sul, adaptou-se bem ao clima madeirense e floresce durante praticamente todo o ano.

ESTRELÍCIA Gigante

 

Créditos Texto: http://drakonyaz.blogspot.com/


Autoria e outros dados (tags, etc)


LÍRIOS

por Muito Mais, em 05.07.10

 

lírio

 

 

CARACTERÍSTICAS

A Planta - Existe uma enorme variedade dessa planta, mesmo dentro das variedades existem muitos nomes e diferenças. Um exemplo é o grande número de tipos de Lírios-asiáticos. Essa variedade apresenta plantas rústicas que exigem poucos cuidados, assim como plantas delicadas, que exigem muitos cuidados. Algumas das famílias onde encontramos essas plantas são as Liliáceas, Zingiberáceas, Amarilidáceas, etc. Elas se caracterizam por serem bulbosas perenes anuais ou herbáceas de porte médio perene. São cultivadas para bordaduras e maciços, além de vasos e forrações de cercas e grades. Tem sua origem na China, Japão, Tailândia e Turquia, no continente asiático, Venezuela, Colômbia e Brasil no continente sul-americano, e também Europa. Podem apresentar alturas variadas como 15, 30, 35, 40, 50, 60, 70, 80 e 90 centímetros, ou até 1,2 e 1,5 metro. Propaga-se quase o ano inteiro ou na primavera, dependendo da variedade. O método mais utilizado para a propagação é a divisão de Couceiras.

 

As Flores -  São agrupadas em hastes florais ou isoladas. Florescem no verão ou em outros períodos como o inverno e primavera ou primavera e verão. As cores dessas flores são laranja, rosa, amarelo, cor-de-creme, branco e violeta. Elas exalam perfume agradável, porém em curta durabilidade, durando entre 1 e 15 dias apenas. São utilizadas para arranjos florais.

 

 

lírio

 

 

Os lírios pertencem à família das Liliáceas e os principais grupos são:

Lírios Orientais - caracterizados pelos que apresentam mais perfume e flores grandes;

Lírios Asiáticos - com flores menores, quase sem perfume, mas com cores fortes e bem variadas;

Lírio longuiflorum - de flor grande, na cor branca e creme.

 

 

lírio

 

 

COMO PLANTAR

O lírio em vaso requer um local com boa iluminação, evitando o sol nas horas mais quentes do dia. Não deixe o substrato (a terra do vaso) secar completamente, molhando sempre que necessário, até que água saia pelos furos de drenagem do vaso; mas evite que a água se acumule no pratinho. Para fazer com que o lírio em vaso floresça novamente, o procedimento é complicado e não é garantido o sucesso. Quem desejar tentar, deve seguir uma série de passos:

1. Após a morte das flores, continue regando o lírio por mais 3 meses, depois pare de colocar água e espere que as hastes sequem completamente;

2. Uma vez que as hastes estejam secas, retire os bolbos do vaso, coloque-os em um saco plástico perfurado, preenchido com material inerte, húmido. Coloque este saco plástico com os bolbos na parte menos fria da sua geladeira (onde são colocadas as verduras) e deixe lá por cerca de 4 meses. Cuide para manter os bolbos húmidos. Evite choque entre os bolbos e também o choque dos bolbos com outros objectos, pois há perigo de machucar os bolbos e os ferimentos são portas para a entrada de doenças.

3. Passados os 4 meses, retire os bolbos da geladeira de plante-os. Deixe nos primeiros 10 dias em local bem fresco e arejado. Quando os brotos estiverem surgindo, leve o vaso para um local bem iluminado. Regue sempre que a terra estiver seca.

4. Se tudo der certo, entre 2 e 3 meses os bolbos florescerão.

 

Créditos:http://agnazare.ccems.pt

Autoria e outros dados (tags, etc)


CRISÂNTEMO

por Muito Mais, em 02.07.10

crisântemos

CARACTERÍSTICAS

Cultivado há mais de 2.000 anos no Oriente, onde é tido como uma planta muito nobre, o crisântemo possui muitos tipos e cores, e exige alguns cuidados especiais de irrigação e luminosidade.

A rega do Crisântemo deve ocorrer enquanto ele está florido, a cada dois dias, uniformemente, sem excessos, o que poderia que lhe causar danos e até o levar à morte. Ele necessita de abundância de luz do sol, mas de forma indirecta, o que incentiva as flores se abrirem. A luz solar intensa e directa pode queimar as flores.

São da família da Compositae, o género possui mais de 100 espécies e mais de 800 variedades comercializadas mundialmente.

Originário da Ásia, foi adoptado como símbolo nacional pelo Japão. Chegou na Europa por volta de 1700 onde foi melhorado geneticamente, para chegar às variedades actuais. Quanto ao tamanho, dividem-se entre crisântemos, largos, médios e minis, dependendo da finalidade (corte ou vaso). As cores podem ser as mais diversas possíveis, destacando-se: o branco, amarelo, vermelho, lilás, roxo, salmão e a mistura dessas cores em tais variegados.

Chrysanthemum, de nome vulgar crisântemo, é um género botânico pertencente à família Asteraceae.

crisântemos

COMO PLANTAR

O crisântemo é uma planta de dia curto, florescendo naturalmente no Inverno. Para obter uma produção durante o ano todo é necessário fazer a plantação em estufas durante o verão, onde técnicas de escurecimento permitem a obtenção artificial de plantas floridas. Dependendo da época do ano e da variedade, o ciclo pode ser de 12 a 14 semanas. O primeiro passo é a obtenção de mudas; pequenas estacas de 5 cm que são retiradas das ponteiras das plantas matrizes. Estas mudas são tratadas com reguladores de crescimento, sendo posteriormente plantadas em substrato adequado, como palha de arroz carbonizada. Após 2 semanas, as mudas enraizadas vão para o local definitivo (terra de canteiros ou de vasos).

Dependendo da variedade e da época de plantação, as plantas devem receber iluminação nocturna por 2 a 4 semanas para estimular o crescimento vegetativo. Quando as plantas atingem cerca de 40 cm (vaso) ou 80 cm (corte), inicia-se (o verão) a indução ao florescimento através do fechamento da estufa com plástico preto durante algumas horas do dia, pois nesta fase as plantas necessitam de aproximadamente 14 horas de escuridão/dia. Esta fase dura de 3 a 4 semanas, retirando-se o plástico preto quando os botões florais começarem a mostrar cor. Depois são mais 2 semanas para as flores abrirem completamente.

Cuidados que devemos ter em casa:

Flor de vaso: Colocar as plantas em local bem iluminado e arejado, porém não sob luz directa.

Regar de 2-3 vezes por semana evitando encharcar a planta.

Eliminar flores e folhas secas/murchas.

 

 

Créditos:http://agnazare.ccems.pt


Autoria e outros dados (tags, etc)


Jardins sempre bonitos I

por Muito Mais, em 27.06.10

No seguimento de um artigo anterior aqui ficam  mais algumas sugestões de plantas ornamentais que que necessitam de pouca água para sobreviver.

 

Craveiro, Cravina (Dianthus)

Craveiro, Cravina (Dianthus)

Maravilhas (Calendula)

Maravilhas (Calendula)

Salva (Salvia argentea)

salva

Salva (Salvia officinalis)

salva

Autoria e outros dados (tags, etc)


Cactos e o seu significado

por Muito Mais, em 23.06.10

Muitas vezes ouvir dizer que não se deviam oferecer cactos aos amigos, hoje descobri o quanto estava errada.

Por diversas vezes me disseram " Quem dá cactos, quer desacatos". Eu que sou uma fã de cactos sentia uma certa tristeza, mas hoje fiquei de muito feliz. Afinal eles segundo o Feng Shui são Guardiões e não trazem os desacatos.

 

Cactos

 

 

Segundo o Feng Shui os cactos são considerados Guardiões, por serem purificadores de ambientes e, de acordo com os especialistas desta técnica milenar, os cactos agem como uma barreira para os raios gama emitidos por computadores e aparelhos de TV.

Os cactos, por viverem em regiões áridas e isoladas, ajudam as pessoas e conhecerem a sua força interna em momentos de solidão. Pelo fato de os cactos armazenarem água (elemento que simboliza sentimentos e emoções) dentro do caule, o mesmo favorece aqueles que se defendem muito das próprias emoções.
Os espinhos podem parecer hostis, mas fazem parte da estratégia de sobrevivência da planta, natural de clima árido e terrenos difíceis, transmitindo proteção e segurança ao seu portador.
Tê-las por perto é um lembrete de vitalidade, persistência e integração com tudo o que está a nossa volta.

 

Cactos

Autoria e outros dados (tags, etc)


Hortelã-pimenta (Mentha piperita)

por Muito Mais, em 19.08.09

Perfil: caracterizada como uma planta perene resistente, bonita e muito aromática, a verdade é que existem várias espécies de hortelã-pimenta que emanam agradáveis aromas a manjericão, chocolate e limão, só para dar alguns exemplos. As suas folhas brilhantes e de um verde intenso, contêm óleos essenciais com propriedades terapêuticas, especialmente indicadas para o tratamento de perturbações digestivas, inflamações, espasmos e dores gerais. Na cozinha, é um ingrediente privilegiado em sopas, molhos, sobremesas e várias bebidas, incluindo o chá.

Cultivo e cuidados: a hortelã-pimenta pode ser plantada com ramificações das suas próprias raízes e o seu crescimento veloz requer um canteiro delimitado ou então um vaso. Pouco tolerante em relação ao Inverno, está no seu auge nos meses mais quentes do ano
.

 

Retirado do Site : O Meu Jardim

Autoria e outros dados (tags, etc)


Manjericão (Ocimum basilicum)

por Muito Mais, em 16.08.09

 

Perfil: perfumado, saboroso e florido, o manjericão é uma excelente adição a qualquer jardim aromático. Assumindo o formato de um pequeno arbusto, as suas muitas ramificações são cobertas por folhas verdes brilhantes e rijas. Quanto mais jovens forem os rebentos, mais condimentadas são as suas folhas – recheadas de óleos essenciais como o estragol, cânfora e linalol, contém ainda ácidos orgânicos e generosas doses de vitaminas C e A. Utilizado para temperar muitos pratos culinários (a típica salada de tomate com queijo mozarela é um bom exemplo), não deve ser, porém, consumido em excesso devido ao seu alto teor de estragol.



Cultivo e cuidados: plantado com recurso a sementes, o manjericão exige muito sol, terra nutrida e permeável, de preferência longe dos caracóis e protegida contra a geada, nomeadamente a primaveril. A colheita deve ser sempre feita a partir da zona superior da planta, um gesto que favorece a sua

 

Retirado do Site : O Meu Jardim

Autoria e outros dados (tags, etc)


Pimenta malagueta (Capsicum frutescens)

por Muito Mais, em 14.08.09

  

Perfil: ao contrário do pimento tradicional, a pimenta malagueta quando floresce mantém-se na terra durante vários anos, formando, inclusive, pequenos arbustos. Os seus frutos apresentam-se de vários tamanhos e formatos, sempre vermelhos ou amarelos. Extremamente picante, as suas doses devem ser bem medidas antes de aplicadas em receitas culinárias.

Cultivo e cuidados: as sementes podem ser adquiridas ou então obtidas através de uma vagem madura da planta, que se dá igualmente bem tanto num pedaço de solo como num vaso. No Verão requer um local ao ar livre mas protegido (uma espécie de estufa) e no Inverno deve ser levada para dentro de casa – suporta muito bem o calor e os ambientes interiores, mantendo-se verde e produtiva durante todo o ano.

 

Retirado do Site : O Meu Jardim

Autoria e outros dados (tags, etc)


Estrelícia - Ave-do-paraíso

por Muito Mais, em 29.05.09


Características

Também conhecida como ave-do-paraíso, por seu formato nos fazer lembrar uma vivaz e colorida ave, é uma herbácea que pode chegar a um metro e meio de altura, capaz de produzir flores, 5 a 8 ao mesmo tempo por muda, durante todo o ano, desde que cultivada sob luz solar intensa.

Essa planta, no seu conjunto, produz um efeito exótico, muito elegante e extremamente belo. 

Como plantar
Ela gosta de muita luminosidade, deve ser cultivada preferencialmente a sol pleno, em climas quentes, subtropicais e mediterrânicos, ao ar livre. Nos jardins encontra-se flores durante todo o ano.

Não deve enfrentar temperatura inferior a cinco graus centígrados, já, para florescer precisa de temperaturas superiores a 10 graus, com irrigações moderadas durante o ano todo.

Por resistirem bem aos ventos, a Estrelícia é ideal também para os jardins de zonas costeiras. Desenvolve-se bem na maioria dos solos, mas é adequado que sejam bem drenados, evitando poças e o consequente excesso de humidade.

Beleza e elegância
Pela sua beleza e elegância, porque dificilmente suas folhas e pétalas correm o risco de ser danificadas por motivos ambientais, e também porque oferecem muita facilidade no cultivo:

As estrelícias são muito procuradas para composições de arranjos de flores e decorações de ambientes externos e internos.

Estas flores, maravilhas artísticas da natureza, possuem cores incríveis e têm longa duração depois de cortada. Por isso, se tornou o símbolo da cidade de Los Angeles. Além disso, ela é extremamente atractiva para os beija-flores.

 Retirado do Site: http://agnazare.ccems.pt


Strelitzia reginae: a ave-do-paraíso
Ela é considerada a flor-símbolo de Los Angeles: é a strelitzia ‚ uma flor colorida e de longa duração, cujo formato lembra uma vivaz e colorida ave.

Popularmente, ela é mais conhecida como "ave-do-paraíso", apesar de receber também outros nomes, dependendo da região, mas seu nome botânico é Strelitzia reginae. Segundo se sabe, o nome 'strelitzia' foi escolhido em homenagem à rainha Charlotte Sophia, duquesa de Mecklenburg Strelitz e esposa do rei George III, da Inglaterra.

Nos jardins, a strelitzia faz muito sucesso, formando vistosos maciços sobre os gramados, mas é na composição de arranjos e decorações florais que ela mostra a sua maior glória: suas flores, belas e exóticas, dão um show de durabilidade, colorido e versatilidade.

Parente próxima da helicônia e da bananeira, a strelitzia apresenta folhagem exuberante, de coloração verde-escuro, que contrasta com as nervuras centrais das folhas, de tom avermelhado. Já as flores, um verdadeiro trabalho artístico da natureza, são protegidas por uma bráctea, em forma de barca, com colorações que variam do vermelho ao azul-violeta. As seis pétalas das flores formam dois grupos de três: as externas são ligeiramente lanceoladas e de cor alaranjada e, as três mais internas possuem o formato de uma flecha e apresentam tons de azul-metálico.

O resultado é um efeito exótico, elegante e extremamente belo, que tem o seu objetivo: a natureza cria estas composições de formas e cores, num esforço para atrair agentes polinizadores e, neste caso, são os beija-flores os visitantes mais freqüentes, em busca do néctar da strelitzia.

Outras espécies
O gênero Strelitzia pertence à família das Musáceas e compreende inúmeras espécies, todas originárias da África do Sul e introduzidas na Europa em 1770, de onde se disseminaram por todo o mundo. A espécie mais cultivada é a Strelitzia reginae, popularmente conhecida como estrelícia, rainha-do-paraíso, bico-de-tucano, flor-do-paraíso, flor-da-rainha, ave-do-paraíso ou bananeirinha-do-jardim. Trata-se de uma planta muito decorativa e, em razão de sua grande durabilidade, é bastante difundida tanto como flor de corte como para o plantio em jardins. Existem também outras espécies, como a Strelitzia alba, de flores brancas e a Strelitzia caudata, de coloração azulada.

De um modo geral, as strelitzias são de fácil cultivo e requerem poucos cuidados, sendo de grande utilidade para a composição de arranjos florais e decoração de ambientes, pois dificilmente são atacadas por problemas que possam danificar suas pétalas e folhas.

Como cultivar
A Strelitzia reginae é uma planta herbácea perene que produz flores quase o ano inteiro, desde que cultivada sob sol luz solar plena. Sua propagação se dá por meio de sementes ou divisão de touceiras. Cultive-a em solo argiloso (2 partes de terra comum de jardim, 2 partes de terra vegetal e 1 parte de areia. A planta gosta de água mas não de solo encharcado. Em geral, pode-se regar duas vezes por semana. Em época seca, deve-se observar a superfície e regar sempre que apresentar-se seca.

 

Retiradao do Site: http://br.answers.yahoo.com

Autoria e outros dados (tags, etc)


Regar com eficiêcia - Parte 1

por Muito Mais, em 07.05.09

1 - Tenha sempre em atenção o harário em que vai efectuar  a rega . Aconcelha-se que o faça sempre entre as dez da naoie e oito da manhã. Sendo este o periodo no qual ao dia é mais fresco, o que vai fazer com que a evaporação da rega seja menor e que op solo aborva instantaneamente a água.


2- Regue minuciosamente cada espaço, mas com menor frequencia possivel. Analise bem cada planta do seu jardim, conheça as suas exigencias nutritivas, e a sua tolerancia ao sol e  depois regues-as consuante as suas necessidades. Verifique sempre se algumas especies num canteiro variado apresentam desidratação e regue mais essas zonas.Se utilizar rega de mangueira, ou em espaços de menor dimensão um regador, verá que poupa água e pode oferecer a cada planta o tratamento ideal, pois o excesso ou escassez de água podem comprometer o seu jardim. Na relva deve ter mais cuiodado com as regas.


3- Em média, zonas de pequenos arbustos requerem cerca de 15 lt de água por semana, espaços com  arbustos d maior porte precisam de cerca de 30 lt de água por semana, as ´rvores cinco litros por  diametro, canteiros de flores necessitam de 15lt por semana. àreas relvadas exigem regas mais frequentes. Caso opte por um sistema de rega automático, tenha sempre em conta as diferentes zonas do seu jardim, para não acontecer encharcamentos.


Fonte: Campo & Jardim nº 9

Autoria e outros dados (tags, etc)




Arquivo

  1. 2012
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2011
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2010
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2009
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D





Mais sobre mim

foto do autor