Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



Publicidade



Como acelerar a floração dos crisântemos?

por Muito Mais, em 17.07.10

crisântemos
O crisântemo (Chrysanthemum morifolium) floresce profusamente em outonos de dias curtos. Em outonos nublados e frios surge com muitas e boas flores e nos quentes e com Sol, com flores raquiticas.

 

Para obter melhores flores, tape os seus crisântemos. Se pretende plantas com folhagem densa, pode em Maio, quase rente ao solo para que produzam mais ramos.

 

Céditos: http://mulher.sapo.pt/

Autoria e outros dados (tags, etc)


Frésias

por Muito Mais, em 11.07.10

 

fresias

 

A freesia, frésia ou junquilho é um gênero da família das Iridáceas, constituído de várias espécies de plantas bulbosas floríferas, originárias da África do Sul, cujos cachos de flores exalam perfume agradável, e que são largamente cultivadas nos jardins do mundo inteiro. Nos jardins, seu plantio é recomendado em bordadura de canteiros, mas o resultado só será compensador se houver boa incidência de luz no local.

As espécies apresentam muitas cores, geralmente fortes, que vão desde um azul puro, passam pelo púrpura e chegam ao branco. Reproduz-se por meio de bulbos perenes. Floresce nas regiões de clima frio a temperado, normalmente no final do inverno e prossegue na primavera.


Cultivo

Recomenda-se em locais ensolarados e com clima ameno, pois os cormos precisam de temperatura fria para iniciarem o processo de germinação. No plantio, o ideal é manter uma distância mínima de 5 a 10 cm entre um cormo e outro, que devem ser cobertos com terra solta.


Solo e umidade

O ideal é o solo solto, leve, rico em adubação orgânica e não saturado de água. Regar levemente uma vez por semana durante o primeiro mês.


Tempo de florescimento

Com boa incidência de luz e regas corretas, as folhas e pendões florais brotarão da metade para o final do inverno, independente da época do ano em que o bulbo foi plantado. O florescimento se prolonga horizontalmente, em todo o pendão floral.


Armazenamento dos cormos

Os cormos, quando dormentes, devem ser armazenados em local fresco e ventilado, para que sejam plantados de março a maio. Em cultivos do ano anterior, não é necessário extrair os cormos do solo, pois a dormência é interrompida naturalmente, voltando a florir na mesma época do ano, ou seja, no final do inverno.

 

Créditos: http://florista.com.pt/

Autoria e outros dados (tags, etc)


Iris

por Muito Mais, em 06.07.10

iris japonica

Iris é um género de plantas com flor, muito apreciado pelas suas diversas espécies, que ostentam flores de cores muito vivas. São, vulgarmente, designadas como lírios, embora tal termo se aplique com mais propriedade a outro tipo de flor. É uma flor muito frequente em jardins. O termo íris é compartilhado, contudo, com outros géneros botânicos relacionados, da família Iridaceae. O termo pode ainda aplicar-se a uma subdivisão neste género.

Existe uma enorme variedade  destas plantas, tendo em comum  uma beleza maravilhosa.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)


Jardins sempre bonitos

por Muito Mais, em 16.06.10

Uma Forma de ter o seu jardim sempre bonito é usar plantas que necessitam de pouca água para sobreviver, mesmo quando não chova não será necessário regalas com tanta frequência visto que necessitam de pouca água para sobreviver.

Existe uma  grande variedade destas plantas ornamentais, umas mais fáceis de encontrar que outras, mas por vezes o efeito pretendido compensa o esforço da sua procura.

Vou  deixar-vos aqui algumas sugestões.

 

Absinto (Artemisia absinthium)

 

Absinto (Artemisia absinthium)

 

 

Alfazema, Lavanda (Lavandula angustifolia)

 

Alfazema, Lavanda

 

 

Glicínia (Wisteria)

 

Autoria e outros dados (tags, etc)


Jardim bolso

por Muito Mais, em 19.01.10

Autoria e outros dados (tags, etc)


Saiba como podar as suas plantas

por Muito Mais, em 16.01.10

Autoria e outros dados (tags, etc)


Floreiras

por Muito Mais, em 15.01.10

 Aqui fica um vídeo com ideias para criar floreiras, e como ter sempre ervas aromáticas sempre à mão.

Autoria e outros dados (tags, etc)


Cuidados de Inverno

por Muito Mais, em 03.12.09

 Os cuidados com as plantas durante o inverno são poucos, como as podas, atenção às regas e controle de pragas. Porém, são essenciais para que cheguem exuberantes na primavera, quando precisarão de muito vigor para brotar, florescer e frutificar. 


Aproveite para podar: 
É bom aproveitar o frio para fazer podas de limpeza e condução nas árvores. Na poda de limpeza, eliminam-se galhos secos, quebrados e mal-formados. Já a poda de condução objetiva dar um bom aspecto à árvore, permitindo maior aeração e entrada de luz entre os galhos. O mesmo ocorre com arbustos e bonzais. É que como as plantas estão em dormência, não sentirão as podas. Tenha sempre em mão uma boa tesoura de poda, afiada e sem ferrugem para não “mascar” os galhos e prejudicar as plantas. No entanto, quando são feitas as podas, a parte exposta fica suscetível à entrada de bactérias e fungos (principalmente se houver muita umidade). Indicamos que passe uma pasta selante para proteger os galhos principalmente dos seus bonzais e árvores. (produto disponível na loja). 

Abaixo veja a seção: Poda das roseiras 

Cuidados com as regas: 
Não as deixe dormir com o “pé” molhado: Por isso, prefira regar as plantas no período da manhã. A rega ao entardecer retém muita umidade e aumenta as chances das raizes congelarem e as plantas morrerem. Vale o mesmo para a aplicação de inseticidas e produtos de controle de pragas. 

Cuidado com as geadas: 
Não é propriamente a geada que prejudica as plantas, mas o sol que aparece logo de manhã e,à medida que derrete o gelo, queima as partes dos vegetais. É conveniente cobrir as plantas tropicais com sombrite para proteção. Isso também impede o pouso de borboletas, que botam os seus ovos, dos quais nascem as lagartas. Outra indicação é regar o jardim logo de manhã para fazer o degelo. Se a planta for atingida, faça uma poda radical de folhas e galhos para tentar recupera-la. 

Pragas e doenças: 
Visitas indesejadas de inverno: Apesar do inverno ser ótimo para eliminar pragas, se houver falta de sol e umidade em excesso, pode ocorrer o aparecimento de fungos, ácaros e cochonilhas. Ocorrendo, temos os inseticidas específicos. 

O inverno na região Sul costuma ser seco. Para manter a umidade das plantas sem que seja necessário regar com tanta freqüência é forrar a base das espécies com uma cobertura de casca de árvore. (produto disponível na loja) 

Poda das roseiras: 
Para garantir a floração abundante, a rosa deve ser podada diversas vezes ao ano. As podas de limpeza devem ser feitas semanalmente, cortando os galhos velhos. Já a poda drástica, deve ser feita no inverno. Protegido com luvas, inicie o processo cortando os galhos menores e também os mais velhos. Em seguida, conte três gemas (pequenos “olhos” localizados no caule) dos galhos que já foram podados e corte 1 cm acima. Nos locais que não sofreram o corte, conte cinco gemas e corte 1,5cm acima. O procedimento deve ser repetido até que reste um pequeno arbusto com cerca de 60cm. Faça os cortes sempre na diagonal, para evitar que a água da chuva acumule a apodreça a ponteira. 

Após a poda, a adubação deve ser reforçada. Comece retirando a cobertura morta e espalhe composto orgânico em volta da planta. Em seguida, aplique farinha de osso e NPK 10-10-10. Misture tudo ao solo e despeje uma camada de grama seca por cima (pode ser uma camada de casca de árvore). Finalmente, regue a roseira. Em cerca de cinqüenta dias você terá uma planta mais forte e pronta para a próxima florada. 

Sugestões de plantio - Flores de inverno: 
Amor-perfeito
Begônia
Orquídea
Boca de Leão
Caliandra
Érica
Petúnia
Azaléias
Ciclamen 

É hora de plantar bulbos!! 
Os bulbos são plantas curiosas: em forma da batata, “guardam” uma planta inteira em estado latente, que tem energia para cumprir o ciclo completo de crescimento. Quando acaba a floração, a parte aérea seca e some, mas volta a crescer e florescer no ano seguinte. 

Aproveite o inverno para plantar bulbos no jardim ou em vasos. Plantados na estação fria, terá belas flores no início da primavera. 

Na loja, temos várias opções, como Amarílis (açucenas), lírios, gladíolos, helicônias, dálias, trevos de quatro folhas, caladiuns, dentre outros. Além de lindo, é super fácil, venha aprender!! 

 

Créditos: 

 


Autoria e outros dados (tags, etc)


Jardim Aromático

por Muito Mais, em 03.12.09

 Kits Cultivar em Casa Temperos estão à venda na Loja do Jardim - Clique aqui!

Jardim Aromático 



Alecrim

Diversas ervas aromáticas podem compôr um jardim útil e perfumado. Plantar ervas aromáticas podem trazer outros benefícios, além de aproveitar suas propriedades como temperos ou medicinais.

As ervas aromáticas oferecem as mais variadas formas e ainda produzem flores delicadas e bonitas. Muitas ervas aromáticas são de pequeno porte e tão fáceis de cultivar que podem ser plantadas até em pequenos vasos ou jardineiras, formando um belo conjunto ornamental.

Alecrim, alfavaca, camomila, cerefólio, melissa, erva-doce, hortelã, manjericão, sálvia ... são apenas alguns exemplos. Algumas ervas preferem crescer em local aberto e ensolarado, enquanto outras conseguem crescer bem até à meia-sombra. Por essa razão, é importante conhecer bem as exigências de cada uma delas.

Solo...

Tanto no jardim como em vasos, o solo ideal para o plantio de ervas aromticas deve ser leve, fofo, poroso, bem drenado e arejado, para favorecer a circulação do ar e da água - essenciais para o bom desenvolvimento das plantas. A adição de areia e matéria orgânica à terra comum do jardim, torna-se essencial para garantir essas condições. Para o plantio em vasos e jardineiras, recomenda-se a seguinte mistura:

1/3 de terra comum 
1/3 de adubo orgânico bem curtido 
1/3 de areia grossa lavada

Antes de encher o vaso ou jardineira com esta mistura, coloque no fundo uma camada de cascalho para garantir a drenagem.

Plantio...

Algumas ervas podem ser semeadas diretamente no local definitivo, outras devem ser semeadas em sementeiras, para a formação de mudas que serão transplantadas posteriormente. Na etapa do plantio, é importante escolher sementes de boa qualidade, com alto poder germinativo. Por essa razão, o ideal é adquirir as sementes em lojas especializadas.

Multiplicação...

Algumas ervas aromáticas podem ser multiplicadas por meio de estacas de caule ou divisão de touceira. Neste caso, observe sempre que a planta-mãe (da qual serão retiradas as estacas ou touceiras) deve ser sadia, robusta e livre de pragas ou doenças.

Regas...

Mudas de ervas aromáticas devem ser cuidadosamente regadas no início de seu desenvolvimento. De forma geral, deve-se evitar as regas escassas e as muito freqüentes. É prefer¡vel fazer regas fartas e esparsas, escolhendo o período da manhã ou o final da tarde para realizá-las. A drenagem é outro fator importante: terra encharcada pode ser fatal para as ervas.

Adubação...

A adubação orgânica é a mais indicada para este tipo de cultivo. Bem curtido, o composto orgânico fornece os nutrientes necessários às plantas e ainda melhora as condiçõees gerais do solo. O composto orgânico deve ser incorporado à terra cerca de um mês antes do plantio. Já a adubação química (à base de nitrogênio, fósforo e potássio - NPK) pode ser uma boa opção como complemento e manutenção. Neste caso, recomenda-se observar as exigências de cada planta e aplicar o produto seguindo rigorosamente as orientações do fabricante

Pragas e doenças...

Em geral, as ervas aromáticas são muito resistentes ao ataque de pragas e doenças, sendo que algumas são até boas repelentes de insetos. Entretanto, certas medidas são fundamentais na prevenção destes problemas:

* Usar sementes ou mudas de boa procedência; 
* Obedecer às exigências das plantas, garantindo-lhes os tratos culturais adequados; 
* Observar as condições de luminosidade e umidade essenciais para o bom desenvolvimento das plantas.

Pequenos insetos podem ser combatidos com a tradicional calda de fumo e lagartas podem ser catadas manualmente, facilmente atraídas com cascas de chuchu ou abóbora espalhadas à noite pelo canteiro ou perto das jardineiras. A calda bordalesa pode ser aplicada como medida preventiva contra o ataque de doenças.

Manter as plantas livres de folhas ou galhos secos, eliminar plantas daninhas ou concorrentes e afofar a terra periodicamente são tratos culturais simples, mas necessários para o sucesso no cultivo de ervas aromáticas.

Plantas para um jardim aromático:

Alecrim (Rosmarinus officinalis L.) - Planta pertencente à fam¡lia das Labiadas, muito fácil de ser cultivada em canteiros e vasos. O plantio por meio de sementes é muito demorado, por isso recomenda-se a multiplicação por mudas ou estacas de galho (medindo cerca de 15 a 20 cm). O alecrim se desenvolve bem em solos leves e bem drenados, mas o essencial para o seu desenvolvimento é receber sol direto em boa parte do dia. As regas devem ser escassas, sem encharcamento e, para garantir sua floração, recomenda-se abrigar a planta contra ventos fortes. A colheita dos ramos mais novos favorece a rebrota.
Dica para secagem: amarrar pequenos maços de alecrim e pendurar com ramos para baixo, em local sombreado e arejado.

Alfavaca (Ocimum basilicum L.) - Também pertencente à família das Labiadas, é uma planta de odor agradável que produz ponteiros floridos e muito ornamentais. Seu cultivo é muito simples em canteiros, vasos e jardineiras porém, é essencial que a planta receba luz solar direta na maior parte do dia. A propagação pode ser feita por meio de sementes ou mudas com boas raízes. A mistura de solo ideal para o plantio é composta de 2/3 de terra comum e 1/3 de adubo orgânico. Quanto às regas, devem ser freqüentes sem, contudo, deixar a terra encharcada, pois o excesso de umidade irá favorecer a proliferação de fungos. 
Dica de secagem: a alfavaca costuma perder parte de seu aroma depois de seca. Quando a finalidade for a secagem, o ideal é colher os ramos duas a três semanas antes da floração, amarrar em pequenos maços e pendurar com as folhas para baixo em local arejado e com pouca luminosidade.

Camomila (Matricaria chamomilla L.) Planta da família das Compostas, produz flores pequenas e delicadas, responsáveis pelas propriedades medicinais e aromáticas. Seu cultivo é mais indicado em vasos ou jardineiras colocados em local onde recebam muito sol direto. O solo deve ser fofo, poroso e com boa drenagem, sem excesso de adubação. Sua propagação se dá por meio de sementes ou estacas de galho (neste caso, o melhor período é a primavera). Durante as regas, recomenda-se cuidado para não encharcar demais a terra junto às raízes. As flores para secagem devem ser colhidas antes de se abrirem por completo, em dia de sol e tempo seco. 
Dica para secagem: Colocar os galhos floridos estendidos sobre um tecido de trama larga e deixar à sombra, em local arejado e fresco.

Melissa (Melissa officinalis L.) Pertencente à fam¡lia das Labiadas, a melissa apresenta propriedades aromáticas tanto nas sumidades floridas como nas folhas. Trata-se de uma planta perene cujas flores delicadas além de atraírem as abelhas ainda têm função ornamental. Seu plantio pode ser feito por meio de sementes, divisão de touceiras ou estaquia. A melissa necessita de muita luz solar, mas tolera bem locais parcialmente sombreados durante parte do dia. Solos profundos e ricos e matéria orgânica são os ideais para o seu cultivo. A colheita da melissa deve ser feita em dias secos. Como se trata de uma planta que possui tecidos frágeis, recomenda-se manipulá-la o menos possível. 
Dica de secagem: O processo de secagem pode ser o mesmo indicado para a camomila.

Hortelã (Mentha piperita L.) Outra representante da família das Labiadas. A hortelã apresenta aroma muito característico, resultado da concentração de sua essência - o mentol. O cultivo em jardins, vasos e jardineiras é muito simples e a propagação é feita por meio de mudas e estacas de galho, uma vez que a planta não produz sementes. A adubação do solo deve ser fraca, para que a planta não se desenvolva muito, prejudicando a concentração da essência. Outro cuidado: as mudas devem ser protegidas contra o excesso de sol, que pode queimar as folhas. Os ramos frescos de hortelã mantém seu aroma mais intenso, mas a planta pode ser submetida à secagem. 
Dica de secagem: Pendurar os galhos de hortelã com as folhas para baixo, em local sombreado, fresco e arejado.

Sálvia (Salvia officinalis L.) A sálvia também pertence à fam¡lia das Labiadas e é utilizada como erva aromática e medicinal há séculos. Existem variedades de sálvia com folhas largas e outras variedades com folhas estreitas, sendo que as de folhas largas são as mais aromáticas. As flores da sálvia, conforme a variedade, podem ser azuladas, violetas, rosadas ou brancas. A multiplicação se dá por meio de sementes ou estacas de galho. É possível melhores resultados no plantio em vasos do que em canteiros, quando o local é bem ensolarado. A planta adulta pede regas esparsas, sem encharcamento. A erva fresca mantém maior concentração do seu aroma. 
Dicas de secagem: Os ramos, floridos ou não, devem ser pendurados com as folhas para baixo, em local seco, arejado e à sombra. Para conservar os ramos secos, guardar em recipientes fechados.

 

Créditos:  Jardim de Flores

 

Onde encontrar: Kits Cultivar em Casa Temperos estão à venda na Loja do Jardim - Clique aqui!


 

Autoria e outros dados (tags, etc)


Plantas na decoração de interiores

por Muito Mais, em 20.08.09

Uma vez que o ar no interior das casas a aprtamentos não é muito saudável-já que somos atingidos por inúmeras substâncias químicas provocados pela existência de carpetes, pinturas, móveis, aparelhos eletrónicos-a introdução de plantas nesses espaços irá ajudar a melhorar a qualidade do ar.  Para além de que a jardinagem e o próprio contemplar a beleza das plantas são actividades relaxantes que aliviam o stress da vida urbana.

 

Dieffenbachia: É uma grande planta com o caule espesso que cresce muito. As folhas largas também têm as cores brancas e amarelo. Esta planta necessita de estar protegida, e nada melhor que a pôr ao pé duma janela virada para Oeste. Requer a rega apenas quando está seca.


Dracena: Esta planta de caule espesso produz folhas largas verdes, que crescem para cima e depois para baixo. Esta planta se parece a uma planta de milho. Qualquer iluminação serve, os únicos cuidados a ter é regar.

 

Ficus lyrata: Esta planta de caule intrincado produz folhas grandes brilhantes em forma de violino. Não tenhas medo de cortar esta árvore de interior antes que te chegue ao tecto. Qualquer iluminação serve. Rega-a apenas quando ela está quase seca.

 

Filodendros de folha em forma de coração: Esta planta produz folhas verdes escuras em forma de coração. O filodendro adapta-se a todas as iluminações excepto à exposição directa com o sol e requer que seja regada ocasionalmente, mas também apenas quando está quase seca. Podemos fazer os caules subirem com a ajuda dum suporte.

 

Línguas de tigre: Esta planta produz folhas largas e pontiagudas muito erguidas de tons d cinzento ou amarelo. Estas saem directamente do solo quando a terra está muito seca, porque é uma planta originária dos países áridos.

 

Sugestão: Tempere a água antes de regar.  Suas plantas de interior vão agradecer-lhe!
À noite ou nos dias de muito frio, quando abre a torneira e coloca as mãos debaixo do jorro de água, nos primeiros segundos esta queimará devido à baixa temperatura a que se encontra. Para que as suas espécies não sofram um colapso ao regar, deixe a água no regador durante algumas horas até esta alcançar a temperatura ambiente ou misture com água quente. Só depois deverá regar.

 

    

 

Inforamação retirada dos sites: Casa Decoração, I-Decoração

Autoria e outros dados (tags, etc)




Arquivo

  1. 2012
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2011
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2010
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2009
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D





Mais sobre mim

foto do autor