Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



Publicidade



Flores de Outono

por Muito Mais, em 06.09.12

 

violetas

Violetas - Uma flor que se desenvolve bem uma temperatura média de 18º C. Trata-se  de uma flor de interior ou de terraço, gosta a luz indirecta. Flor que se rega todos os dias, deve evitar molhar suas folhas.


 

amor-perfeito

Amores-perfeitos - É uma flor que se adapta tanto ao interior como ao exterior de vido á sua enorme resistência. Com capacidade para aguentar muito bem as temperaturas baixas  do Outono e melhor ainda as do inverno. Ao manter a humidade na  terra  vai fazer com que a flor lhe dure  todo o ano sem problemas.

 

Girassol

Girassol - Deseja encher o seu jardim de cor? o girassol vai dar um tom de dourado ao sem jardim ou terraço. Gosta de uma boa dose de água e luz. Deve evitar a exposição directa a ventos muito fortes.

Autoria e outros dados (tags, etc)


Cactos de Jardim

por Muito Mais, em 22.06.10

Cactos
Cactos
cactos
cactos
cactos

Autoria e outros dados (tags, etc)


Jardim florido durante o ano

por Muito Mais, em 04.02.10

Autoria e outros dados (tags, etc)


Jardim Aromático

por Muito Mais, em 22.08.09

A localização no jardim

Regra geral, as ervas aromáticos necessitam de um solo solto e poroso, ou seja, prosperam mais em terra seca e aberta do que em terra pesada e húmida. Para assegurar estas condições de crescimento, escolha uma zona do jardim que receba muito sol e, se for necessário potenciar as características do solo, basta juntar-lhe areia para tornar a terra mais solta. Os canteiros reservados a um jardim aromático podem ser circulares, quadrados, em caracol ou espiral, com ou sem intersecções. Se preferir uma estrutura mais organizada, pode dividir o jardim aromático com pedras/tijolos (a vantagem destas é que acumulam o calor do sol, potenciando o desenvolvimento das ervas) ou estacas, mas também pode fazer uma plantação livre e completamente natural. Por fim, quanto mais perto de casa ou da porta da cozinha melhor – para aproveitar todos os ingredientes frescos que tem à disposição.

 Vasos e floreiras

A facilidade com que crescem a maioria das ervas aromáticas permite que estas possam ser igualmente plantadas em vasos e floreiras que descansam no peitoril da janela da cozinha ou penduradas numa varanda. O facto de não necessitarem de muito espaço para florescerem significa que mesmo num pequeno apartamento é perfeitamente plausível desfrutar de um jardim aromático. Se possível, opte por vasos em terracota, no entanto, as floreiras ou vasos em plástico são igualmente adequados. Certifique-se que o tamanho dos vasos são apropriados ao tipo e quantidade de erva aromática a semear e junte sempre à terra normal, areia ou argila em partes iguais, para torná-la mais solta e permeável. Coloque os seus vasos no local mais solarengo da varanda, terraço ou janela e observe o seu crescimento rápido e bonito.

Variar para saborear

Na hora de plantar um jardim aromático, importa escolher ervas que aprecie particularmente e que habitualmente utiliza na cozinha. Quanto mais espaço de jardim tiver, mais espécies pode plantar; no entanto, se vai optar por um “jardim envasado”, a variedade pode mesmo assim ser muita: 6 vasos permitem 6 tipos de ervas aromáticas distintas, por exemplo. Existem ainda várias espécies que, quando plantadas em conjunto, florescem lindamente, por isso, veja que tipo de misturas pode fazer para duplicar o jardim aromático, tornando-o, em simultâneo, visualmente atractivo.

Semear e cuidar

Seja em jardim ou vaso, não há nada mais simples do que semear ervas aromáticas: basta espalhar as sementes no solo arenoso e verificar, poucas semanas depois, o florescimento das plantas. Se pegarem à primeira – que é, por norma, o caso – as colheitas sucedem-se e terá sempre um jardim aromático em flor, com ervas frescas prontas a ser utilizadas. Como em tudo na jardinagem, existem algumas espécies que requerem cuidados específicos ou que se cultivam melhor quando plantadas em conjunto com outras ervas, por isso, informe-se aquando da compra. Casos especiais à parte, depois da sua plantação, um jardim aromático necessita apenas de ser regado periodicamente, especialmente quando o tempo se apresentar mais quente e seco. Para assegurar um jardim aromático que floresce todo o ano, saiba que existem muitas ervas que suportam os meses de Inverno, enquanto outras necessitam apenas de serem envasadas e colocadas no interior ou em janelas solarengas para continuarem a dar os seus frutos, mesmo nas alturas mais frias do ano.

 Colher e saborear

A maioria das ervas aromáticas ostenta o seu melhor sabor antes de florescerem, por isso, esteja atento – uma vez em flor, as folhagens mais antigas comecem a desvanecer e as novas surgem mais pequenas e azedas. Quanto mais as utilizar e colher, maior é o incentivo para o jardim aromático continuar a crescer e a desenvolver. Se alguma planta florescer rapidamente, pode cortar cerca de um terço da mesma para voltar a estimular a produção, fazendo questão de recorrer às folhas mais vezes. São os óleos presentes nas ervas os principais responsáveis pelo aroma e sabor deste tipo de planta; e a concentração desses óleos é mais elevada de manhã, por isso, é esta a melhor altura do dia para as colher. Com recurso a uma faca, tesoura ou mesmo com as mãos, colha os seus frutos aromáticos a meio da manhã – depois de o orvalho secar nas folhas e antes de ficarem murchas devido ao sol – e lave-os gentilmente em água fria antes de utilizar.

 

Retirado do Site : O Meu Jardim

Autoria e outros dados (tags, etc)


Regar com eficiêcia - Parte 3

por Muito Mais, em 20.05.09

8 - Antes de chegar o Verão e as suas ondas de calor e seca, determine  se quer continuar a regar a relva ou se pretende deixa-la entrar em dormência.


9. A altura das férias traz ao jardineiro grande preocupacão. A soluçaõ é extremamente simples, peça a um amigo ou vizinho para cuidar das suas flores durante a sua ausência.


10- Teste as suas plantas levando ao limite o período de ausencia de rega, de forma consciente. Atenção que isto não significa negligenciá-las, mas sim permitir que sequem convenientemente antes de voltarem a ser regadas. Em períodos de chuva, já sabe que não se precisa de preocupar com regas.


Fonte: Campo & Jardim nº 9

Autoria e outros dados (tags, etc)


Regar com eficiêcia - Parte 2

por Muito Mais, em 12.05.09

4 - Qualquer jardim recentemente criado, leva tempo a estabelecer-se. Logo, durante o início o número de regas terá  de ser superior. Em alturas de calor as plantas também precisam de mais água do que o normal. A adaptação das plantas ao solo poderá demorar vários meses, pelo que convém o jardineiro estar atento ás suas necessidades que vão depender da temperatura e épocas do ano a que estão sujeitas.


5 - Caso regue as plantas manualmente, utilize um disjuntor no final da  mangueira, para que o fluxo de água seja menor, o que reduzirá o consumo hídrico e proporcionará um contacto mais suave entre a a água e a base das plantas. Um jardim de dimensões normais, regado à mangueira  gasta cerca de 15 litros de água por minuto. Aconselhamos o reaproveitamento das águas da chuva através de reservatórios espalhados pelo terreno, que durante o Inverno vão armazenando as águas das chuvas proporcionando a água das regas para o restante ano. Outra solução que também aconselhamos á a adopção de um sistema de rega gota-a-gota, que mantém o seu solo sempre nutrido de forma económica.


6 - Deve conhecer bem as características do seu solo. Isso evitará encharcamentos justificados pelas irrigações excessivas em solos de reduzida capacidade de absorção.

 

7 - Se tiver um sistema de rega automático assegure-se que o mesmo tem um sensor  que cancela regas em períodos de chuva. Anualmente faça uma avaliação ao mesmo para se assegurar que não está a provocar desperdícios hídricos, regando, por exemplo, zonas de pavimento.

Autoria e outros dados (tags, etc)


Regar com eficiêcia - Parte 1

por Muito Mais, em 07.05.09

1 - Tenha sempre em atenção o harário em que vai efectuar  a rega . Aconcelha-se que o faça sempre entre as dez da naoie e oito da manhã. Sendo este o periodo no qual ao dia é mais fresco, o que vai fazer com que a evaporação da rega seja menor e que op solo aborva instantaneamente a água.


2- Regue minuciosamente cada espaço, mas com menor frequencia possivel. Analise bem cada planta do seu jardim, conheça as suas exigencias nutritivas, e a sua tolerancia ao sol e  depois regues-as consuante as suas necessidades. Verifique sempre se algumas especies num canteiro variado apresentam desidratação e regue mais essas zonas.Se utilizar rega de mangueira, ou em espaços de menor dimensão um regador, verá que poupa água e pode oferecer a cada planta o tratamento ideal, pois o excesso ou escassez de água podem comprometer o seu jardim. Na relva deve ter mais cuiodado com as regas.


3- Em média, zonas de pequenos arbustos requerem cerca de 15 lt de água por semana, espaços com  arbustos d maior porte precisam de cerca de 30 lt de água por semana, as ´rvores cinco litros por  diametro, canteiros de flores necessitam de 15lt por semana. àreas relvadas exigem regas mais frequentes. Caso opte por um sistema de rega automático, tenha sempre em conta as diferentes zonas do seu jardim, para não acontecer encharcamentos.


Fonte: Campo & Jardim nº 9

Autoria e outros dados (tags, etc)


Primavera, transforme o seu jardim num sonho.

por Muito Mais, em 24.04.09

Agora que o sol surge mais no nosso dia a dia, que apetece passar mais tempo na rua, uma das actividades mais primorosas e relaxantes é a jardinagem.

É época de plantar, ver crescer e florir, embelezar os espaços onde podemos passar bons momentos de prazer.

Para quem tem um jardim grande pode dividi-lo em vários espaços. Por exemplo, zona de brincadeira  com baloiço, escorrega, espaço para brincar. Uma zona de convívio com mesa e cadeiras, poderá por uma pérgula ou uma estrutura com trepadeiras. uma zona ajardinada, com um caminho de acesso á casa. Poderá utilizar vários tipos de gravilhas para delinear os vários espaços, pode escolher vários arbustos e de diferentes tamanhos criando assim pequenos recantos e refúgios no seu jardim.

Uma parte bastante importam-te é a colocação de casca de pinheiro para evitar o crescimento rápido de ervas daninhas, que são tão indesejadas, nos nossos queridos jardins. A caca de pinheiro também evita que a água evapore, criando mais humidade para as suas plantas.

Agora basta sonhar, desenhar um esboço, ver qual os arbustos mais indicados e partir á aventura. Arrisque, divirta-se e tenha o seu jardim de sonho.

 

Aqui ficam algumas idéias de jardins feitos no programa Querido Mudei a Casa.

 

 

 

Para mais idéias e informacões veja o site

Autoria e outros dados (tags, etc)


CACTOS

por Muito Mais, em 28.03.09

 

      Cactos Mistura - JARDICENTRO LOJA ONLINE

Os cactos necessitam de sol e odeiam umidade. Conhecendo isso, já se sabe o mais importante sobre essas plantas de formas e tamanhos tão diferentes (variam de 2cm a 15cm de altura), pertencentes à família das Cactaceae, originária da América do Norte. O nome deriva do grego Káktos, que significa planta espinhuda - afinal, essa espécie é cheia de espinhos e pêlos em seus caules carnudos e cheios de água.
Apesar do habitat original desértico, os cactos vão bem em climas amenos, e deve ser plantado em solo árido, uma mistura de areia e terra, e em local com luz direta e pouca água.
Como algumas espécies menores podem não se adaptar ao solo para onde forem transplantadas, é melhor plantá-las no jardim mantendo-as dentro dos vasinhos em que estiverem, especialmente se forem cactos enxertados.
A montagem do jardim de cactos deve seguir o roteiro abaixo:
• preparação do local - escolher um canto com pequeno declive. Se não houver, pode-se amontoar algumas pedras ou formar montinhos de terra, para drenar bem a água. O solo ideal é obtido com a mistura de partes iguais de areia, terra local e adubo orgânico (humus de minhoca, torta de mamona ou esterco animal). Revolver bem o solo tratado, cobri-lo com plástico e deixá-lo curtir por trinta dias. Observar que a camada tratada tenha pelo menos 50cm de profundidade.

• plantio das mudas - a melhor época é entre o fim do outono e o início da primavera, quando as chuvas diminuem. Começar pelo fundo do jardim, plantando as mudas maiores, depois passar para as de porte médio e, finalmente, as menores. As covas defem ter o tamanho que abrigue as raízes.
• cuidados finais - colocar seixos rolados, pedriscos ou uma camada de areia ao redor das plantas - além de fazerem o acabamento, esses materiais protegem os caules. As regas, no primeiro mês, devem ser feitas duas vezes por semana; depois disso, só quando a ausência de chuva for longa.

Fonte: Revista Arquitetura & Construção - jun/97.

Autoria e outros dados (tags, etc)


Jardim Japonês

por Muito Mais, em 07.03.09

Um convite à contemplação, o jardim japonês transmite paz e espiritualidade. Os aspectos visuais como a textura e as cores, em um jardim oriental são menos importantes do que os elementos filosóficos, religiosos e simbólicos. Estes elementos incluem a água, as pedras, as plantas e os acessórios de jardim.

 

A Arte do paisagismo no Japão é antiga e provavelmente originou-se da China e da Coréia muito antes do século VI. Para a cultura japonesa, o paisagismo é uma das mais elevadas formas de arte, pois, consegue expressar a essência da natureza em um limitado espaço de forma harmoniosa com a paisagem local.

Os modelos dos primeiros jardins vieram da China e representaram o prazer e divertimento dos aristocratas. Os do Período Heian (794-1185) sempre tinham um lago com uma ilha e eram construídos para contemplar a Natureza através das mutações das estações do ano. A partir disso, os jardins começam a desenvolver características próprias, dando destaque para os arranjos de pedras.

 


Alguns elementos são fundamentais no jardim japonês, entre eles podemos citar:

  • O Sakura ou cerejeira ornamental, que é conhecido como a flor da Felicidade e assume um lugar importante na cultura japonesa. Nos meses de Março a Abril o povo festeja o Hanami para comemorar a floração da árvore com muitas festividades.
  • O Momiji-Gari ou Acer Vermelho, que revela um aspecto melancólico e reflexivo da personalidade japonesa.
  • As lanternas de pedra que induzem à concentração, ajudando a clarear a mente, adicionando o místico, a tradição e a espiritualidade. Os pontos de luz devem ser estrategicamente distribuídos para não ofuscarem a visão.
  • O lago e as carpas:: água é vida, daí a importâcia do lago. Nele, vivem as carpas, símbolo de fertilidade e prosperidade. A variedade Nishiki-koi, valiosa, exige água cristalina. Para tanto, podem ser instalados uma bomba e um filtro biológico (do tipo carvão ativado), garantindo a circulação da água.
  •  
  • Taiko Bashi ou ponte: Uma ponte ou um caminho dentro de um jardim, representa uma evolução para um nível superior em termos de amadurecimento, engrandecimento e auto-conhecimento, enquanto a flexibilidade do bambu, conduz a capacidade de adaptação e mudança.
  • As pedras das cascatas: o centro do jardim. A pedra colocada na posição vertical representa a figura do pai, e a da horizontal, a mãe, dela, brota a água. As outras pedras, simbolizando os descendentes, são distribuídas em torno do lago e entremeadas pela vegetação.
  • O bambu e os adornos: os galhos do bambu são amarrados, direcionando o crescimento para que a planta se curve para o lago, como em reverência. O sino de vento e os macacos de cerâmica, fixados na planta, trazem o som da natureza e a felicidade.

Sugestões de Plantas:

  • Tuias
  • Ciprestes
  • Azaléias
  • Ácer-vermelho
  • Bambú
  • Bambú-negro
  • Olmo
  • Ligustro
  • Nandina
  • Bambuzinho-de-jardim
  • Roseira
  • Pinheiros
  • Rododendro
  • Junípero
  • Buxinho
  • Cerejeira-ornamental

Fonte: jardineiro.net

Autoria e outros dados (tags, etc)




Arquivo

  1. 2012
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2011
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2010
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2009
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D





Mais sobre mim

foto do autor