Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]




Jardins - Jardins de inverno

por Muito Mais, em 11.02.09

Os jardins de Inverno actuais, quando existem, são fundamentalmente prolongamentos da parte principal da casa, cheios de verdura, soalheiros e mobilados de forma despretensiosa. O jardim de Inverno ideal deve comunicar com a sala de estar e, tendo embora muitas plantas, ser suficientemente amplo para acomodar cadeiras confortáveis. Para facilitar as tarefas de jardinagem, deve existir uma torneira num dos cantos da divisão. O pavimento ( uma vez que se trata de um jardim de Inverno ideal ) é de ladrilhos, dos quais é fácil remover a sujidade e a água. O telhado, de vidro transparente, é inclinado para evitar a acumulação da água da chuva, das folhas mortas ou mesmo da neve. Há ainda janelas a toda a volta providas de cortinas ou persianas fáceis de correr. Pela sua natureza, um jardim de Inverno recebe mais claridade do que o normal das divisões, pelo que a gama de plantas que aí se podem cultivar torna-se muito mais vasta. Aqui dar-se-ão bem plantas como buganvílias, grevíleas, hóias, jacarandás e numerosas orquídeas. Se a estrutura que suporta o telhado for constituída por traves resistentes, poderá suspender cestos ou vasos com fetos, begónias e fúcsias em flor. Videiras e outras plantas trepadeiras poderão ainda ser orientadas para crescerem pelas paredes e ao longo do tecto. Ao nível do solo ficam bem canteiros do tipo habitualmente utilizado em estufas.

 

 

Retirado do Site:http://plantasdeinterior.com.sapo.pt/

Autoria e outros dados (tags, etc)


Cuide da natureza da sua casa

por Muito Mais, em 08.02.09

Para algumas pessoas é essencial ter plantas em casa, quer seja no interior ou no jardim, para dar vida ao ambiente. No entanto nem sempre é fácil mantê-las bonitas e viçosas.

Ao adquirir uma planta em vaso, preste atenção ao seu tamanho. As plantas de maior porte precisam de ser trocadas após dois anos para um vaso maior.

Mesmo que não haja necessidade de mudança de vaso, caso o deseje, a dica é a seguinte: arranje terra vegetal ou terra adubada, misture-a com a do vaso original e coloque-a no vaso novo. Só a orquídea é que precisa de pedra no vaso, antes de colocar a terra, para drenar e não acumular água na raíz.

Atenção com as plantas de ambiente externo devido à incidência directa do sol. No início a planta pode murchar e algumas folhas caírem, mas é normal. Deverá regar-se três vezes por dia, até que a planta se adapte, depois é só regar duas vezes por semana.

E por falar em água, a irrigação é um ponto importante. A maioria das plantas de interior devem ser humedecidas de três em três dias - sem encharcar. A orquídea está entre as excepções e deve receber água de sete em sete dias. A adubação deverá ser feita de três em três meses usando qualquer adubo. No caso de certas flores existem adubos específicos.

Quanto a pragas, as lojas de plantas sabem indicar qual o insecticida específico para exterminá-las. Na medida do possível, o melhor é usar remédios caseiros para não danificar a planta.

A recomendação da poda é que esta seja feita depois de Agosto e até Outubro. Uma poda que requer mais cuidados é a do bonsai. Esta planta tem que ser adubada com farinha de osso, o adubo mais completo, e podada de 15 em 15 dias. Define-se o formato que se pretende e corta-se bem próximo da folha. Atenção, não se pode cortar no meio do talo. Outra particularidade: o bonsai deve ser exposto a um bom período de luminosidade, mesmo que o dia esteja nublado ou com chuva. Regue todos os dias, mas sem exageros.

 

Retirado do Site: http://www.lojadasflores.pt/

Autoria e outros dados (tags, etc)


Bonsai - Estilo Saikei

por Muito Mais, em 30.01.09

 

Saikei é a arte de criar paisagens miniaturas vivas. Utiliza-se árvores vivas - bonsai ou mame bonsai - combinando com pedras, pedriscos, areia, vegetações de forração e musgos. Deve-se trabalhar a escala e a granulometria o melhor possível. Pode ser feito em vasos, em pedras ou em outros tipos de superfície. O solo é "esculpido" e as pedras, arranjadas como na natureza.

Autoria e outros dados (tags, etc)


Bonsai - Estilo Sabamiki

por Muito Mais, em 30.01.09

 

São aquelas árvores que apresentam o tronco partido e oco, em decorrência dos efeitos da natureza, como por exemplo, os raios e erosões que apodrecem uma parte da árvore. Neste estilo é conveniente trabalhar com árvores que possuem uma madeira bastante resistente.

Autoria e outros dados (tags, etc)


Bonsai - Estilo Sharimiki

por Muito Mais, em 30.01.09

 

Não é difícil encontrarmos na natureza uma árvore com troncos inicialmente vivos, mas com uma terminação seca e morta, muitas vezes por ter sido atingido por um raio. São essas árvores que o estilo Sharimiki representa. Este estilo é obtido através da coleta de árvores na natureza (yamadori) ou artificialmente (Jin, Shari e Madeira - Arrastada). Estilo em que a planta apresenta uma parcela significativa de seu tronco descascado, com a madeira parcialmente morta.

Autoria e outros dados (tags, etc)


Bonsai - Estilo Ishitzuki

por Muito Mais, em 30.01.09

 

Este talvez seja o mais excêntrico de todos os estilos, pois o bonsai Bankan tem um tronco formando círculos e arcos consecutivos.As árvores neste estilo destacam-se pela sua aparência de velhice. As curvas do tronco e as partes de madeira morta lhes dão um aspecto trágico e lhes fazem majestosas. Representam aquelas árvores crescendo em zonas altas, expostas à ação da neve, dos raios, das tormentas, etc.

É um estilo muito apreciado e bastante valorizado pela dificuldade técnica em manter viva uma árvore, com apenas uma parte do seu tronco vivo. Muitos dos bonsai naturais encontrados nas montanhas e modelados pela natureza se adaptam a este estilo. As árvores neste estilo destacam-se pela sua aparência de velhice. As curvas do tronco e as partes de madeira morta lhes dão um aspecto trágico e lhes fazem majestosas. Representam aquelas árvores crescendo em zonas altas, expostas à ação da neve, dos raios, das tormentas, etc.

Autoria e outros dados (tags, etc)


Bonsai - Estilo Netsuranari

por Muito Mais, em 28.01.09

 

O bonsai netsuranari caracteriza-se por apresentar várias árvores que crescem de uma única raiz serpentiforme.Neste estilo, da raiz principal surgem todos as demais árvores, com uma separação suficiente entre si, para aparentar um pequeno bosque. Na natureza, é um fenômeno que ocorre com freqüência em espécies como o Fícus e o Ulmus. O bonsai netsuranari caracteriza-se por apresentar várias árvores que crescem de uma única raiz serpentiforme(em forma de serpente).

Autoria e outros dados (tags, etc)


Bonsai - Estilo Ikadabuki

por Muito Mais, em 28.01.09

 

Este estilo representa uma árvore caída, através da qual os galhos laterais se convertem em troncos. É um fenômeno muito freqüente na natureza. Em bonsai, é um estilo pouco utilizado, pois como os troncos nascem em linha reta, não permitem muitos arranjos visuais satisfatórios.

Autoria e outros dados (tags, etc)


Bonsai - a arte do cultivo

por Muito Mais, em 22.01.09

1. "Bon" significa bandeja ou recipiente; "sai" é um substantivo cujo significado é crescer, e a palavra bonsai expressa o cultivar uma árvore em um vaso. A ênfase desta palavra reside no duplo ato de viver e crescer. Por isso, para ser considerada um bonsai, a planta precisa representar a árvore como ela é na natureza.

 

2. O Bonsai teve seu início na China, por volta do século. III A.C., mas foram os japoneses que aprimoraram a técnica, incluindo-a em sua cultura como arte e objeto de culto e meditação. Assim, deve ser realmente uma árvore em miniatura, de qualquer espécie, produzindo flores e frutos normalmente como a de tamanho natural. Não há árvore de Bonsai, mas árvores que se transformam pelo processo de Bonsai. Na prática, é a arte de selecionar e transformar árvores que tenham potencial para se assemelhar a uma réplica na natureza.

3. Apesar de seu tamanho reduzido, a árvore mantém sua saúde e características naturais produzindo flores e frutos normalmente. A princípio qualquer árvore pode ser utilizada para confecção de Bonsai, devendo-se procurar um conjunto estético e harmonioso. Algumas árvores já possuem a tendência natural para se transformar num Bonsai, outras devem ser mais trabalhadas através de modelagem, podas, etc..., onde a habilidade e criatividade são freqüentemente colocadas à prova, respeitando-se os limites da natureza.


4. Um dos pontos fundamentais para a manutenção do Bonsai refere-se à escolha do local onde será mantida a planta. De uma maneira geral, o Bonsai deve ser cultivado ao ar livre, ou seja, exposto as variações climáticas tais como: chuva, vento, frio, sol, etc., de acordo com as necessidades específicas de cada planta. O ideal é que permaneçam em um ambiente aberto (jardim, varanda ou sacada) com sol direto pelo menos na parte da manhã, podendo até permanecer em ambientes fechados por curtos períodos de tempo (no máximo 03 dias) evitando sobremaneira ambientes artificiais (ar condicionado e aquecedor). A tendência que os galhos e folhas têm de crescer em direção ao sol poderá provocar desequilíbrio na forma; evite-o fazendo uma rotação periódica nos vasos, procurando não mudá-los de local.


5. Regar um bonsai é molhar toda a terra que está dentro do vaso. Coloque água potável por cima da terra em toda a superfície até que a água comece a sair por baixo nos orifícios do vaso. No calor pode-se molhar também a copa e galhos. Mas atenção: em geral, as árvores não gostam de muita umidade na terra. Por isso, deve-se regar os bonsai somente quando a terra do vaso estiver quase seca. Bonsai em vasos pequenos (até 30cm de comprimento), devem ser regados todos os dias quando a umidade do ar estiver baixa e a temperatura acima de 20oC. Abaixo desta temperatura regar dia sim dia não.


6. As plantas alimentam-se dos sais nutritivos que extraem do solo. Como os bonsai vivem em vasos pequenos, a árvore poderá consumir todos os nutrientes da terra depois de algum tempo. Deve-se repor estes nutrientes através de adubos. É preciso adubar principalmente nas épocas de grande crescimento das plantas. É muito melhor adubar em pequenas quantidades mas com maior freqüência do que fazê-lo esporadicamente em grandes quantidades.


7. As raízes de todas as árvores crescem para encontrar água que precisam para viver. Assim sendo, quando uma árvore cresce num vaso, as raízes crescem até ocupar a totalidade desse espaço limitado, ao mesmo tempo em que a terra vai se esgotando e perdendo a faculdade de proporcionar os nutrientes que a árvore necessita. A freqüência de transplantação ou troca de terra varia segundo a espécie e idade do bonsai, o que pode variar muito, desde as frutíferas que, regra geral, devem ser transplantadas anualmente, até os pinheiros que podem ser transplantados a cada 5 ou 7 anos.


8. Para dar forma ao seu bonsai, deixe a copa sempre bem podada. Com exceção dos pinheiros e coníferas não existem grandes complicações em cortar os ramos, que normalmente crescem muito, principalmente na primavera. Visualize a forma de uma "mini árvore" e não tenha medo de podar. A poda, que deve ser feita com uma tesoura bem afiada, estimula novas brotações, preenchendo a copa e deixando-a mais bonita.

9. Os bonsai podem ser classificados em: Minibonsai - medindo entre 5 e 15 cm, Bonsai clássico - medindo entre 15 e 60cm e Bonsai grande - medindo entre 60 e 120cm ou mais. Estas dimensões são tomadas verticalmente desde o extremo superior da árvore até a base do tronco, sem incluir o vaso.

10. Na arte do bonsai existem inúmeras técnicas relacionadas ao seu cultivo, técnicas para obtenção das mudas, para o plantio, modelagem e manutenção. Esta complexidade na arte de cultivar plantas em vasos não deve em momento algum desestimular os iniciantes que têm interesse em aprender, muito pelo contrário, deverá despertar a necessidade em manter um contato mais íntimo com a natureza. Com o passar do tempo o novo bonsaísta aprenderá que não será preciso possuir um alto nível de conhecimento técnico-científico, mas sim desenvolver o principal: o amor pelas plantas e o respeito pela natureza como um todo.

Autoria e outros dados (tags, etc)



Posts mais comentados


Arquivo

  1. 2012
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2011
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2010
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2009
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D





Mais sobre mim

foto do autor